Como calcular pontos de sincronia – parte 2

O próximo passo é criar um layout do trecho a ser composto, em uma partitura simplificada. Essa partitura vai seguir de guia, pois vai conter indicações em notação musical dos momentos escolhidos para sincronia. Antes de tudo, você vai precisar determinar um andamento expresso em BPM. Essa decisão é importantíssima do ponto de vista expressivo, pois o andamento da música é um elemento fundamental para dar “cara” a uma peça musical. Como estamos compondo para imagem, a escolha do andamento deve obedecer a dois compromissos: funcionar expressivamente e encaixar com os pontos de sincronia. Esse encaixe deve ser tão preciso quanto possível, mas lembre-se que a platéia vai aceitar como sincrônico um som que esteja até aproximadamente um décimo de segundo distante do lugar certo. Essa é uma margem de erro segura, e você pode trabalhar com uma defasagem ainda maior em movimentos lentos ou ataques sonoros mais suaves.

A prioridade é encontrar um andamento que funciona expressivamente e depois fazer pequenos ajustes no BPM e na interpretação (ou na programação MIDI) para ter mais precisão nos pontos de sincronia. De nada vai adiantar um andamento que milagrosamente resulta em sincronias perfeitas se ele é lento ou rápido demais para o que o filme requer.

Não há receita fácil para achar o andamento mais adequado do ponto de vista expressivo. Eu costumo assistir ao trecho de filme várias vezes, batendo ou regendo um andamento, às vezes com o metrônomo ligado. Cada compositor vai encontrar uma resposta diferente para esse problema, baseado em sua experiência e conhecimento.

Digamos que, após assistir ao trecho diversas vezes você chegou à conclusão que o andamento deve ser em torno de 100 BPM. Agora você precisará ajustar esse andamento a um número que funcione bem com os pontos de sincronia que você determinou a partir da timing sheet . Para exemplificar, vamos usar os tempos da tabela do último post: 1,75s , 4,54s e 8,95s.

Temos portanto que encontrar um metrônomo não muito diferente de 100 BPM em que os beats (semínimas) caiam suficientemente próximos destes três tempos.

Apresentarei a seguir uma pequena tabela em Excel que criei para facilitar esse cálculo. Serve para calcular as relações entre andamento em BPM, tempo em segundos e o número do beat ou semínima que coincidirá com um ponto de sincronia. Com a planilha você pode calcular qualquer um dos três valores (BPM, semínima ou tempo) se estiver de posse dos outros dois. No nosso exemplo, se inserirmos 100 BPM e 1,75s, obteremos a semínima 3,92 (na área de resultado vermelha). Isso significa que em uma música a 100 BPM o tempo de 1,75 segundos ocorrerá bem próximo da quarta semínima, o quarto beat. Mais precisamente, 92% do terceiro beat terá passado. É um erro temporal semelhante a uma fusa, próximo a um décimo de segundo nesse andamento. Ou seja, se você usar exatamente esse andamento e quiser escrever uma mudança musical no quarto beat da composição, essa mudança vai estar bem proximamente sincronizada com o primeiro evento da timing sheet.

Mas suponha que você queira escrever uma música que esteja em sincronia absolutamente perfeita (o que via de regra é desnecessário, mas vamos levar essa idéia adiante para exemplificar o uso da planilha). Nesse caso, você precisará inserir tempo e beat na área azul da planilha, obtendo um andamento um pouco diferente do original: 102,86 BPM.

A área verde da planilha funciona analogamente: inserindo o número do beat e o andamento, você obtém o tempo decorrido. Para comprovar, faça a conta inversa: insira 4 em Beat e 102,86 em Andamento e o resultado será 1,75s.

Cálculo de compassos

Enviarei com prazer a planilha a quem quiser conhecer! Se tiver interesse, por favor deixe um comentário abaixo ou mande uma mensagem no meu perfil do Facebook.

No próximo post explicarei como transformar todas essas informações em um layout para a composição através de uma partitura simplificada.

One Response to Como calcular pontos de sincronia – parte 2

  1. Everaldo Rosendo disse:

    Prezado,

    Veja, quando aparece na partitura uma seminima e o número 100, como devo calcular isto na sua tabela? prevalece o tempo de 1,75 para cálculo?

    grato

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Spam Protection by WP-SpamFree