Sobre mim

Uma de minhas obrigações profissionais é ouvir música. Ouço para estudar, para conhecer referências que servirão para uma trilha ou uma pesquisa, para corrigir trabalhos de alunos, para compreender o pensamento do compositor em uma trilha sonora.

O resultado é que acabo ouvindo muito pouco por puro prazer. E por preguiça ou falta de tempo, ouço sempre as mesmas pouquíssimas coisas. O andante da sonata para piano em si maior de Franz Schubert. As mesmas três ou quatro faixas de Brad Mehldau, John Scofield e Bill Frisell. Além disso, fico desconfortável quando experimento música que considero excepcional. A sensação que melhor descreve o que sinto é medo; medo da enormidade que é a beleza musical pura. Sinto-me uma formiguinha perto disso.

Estudo música de maneira assistemática, interessando-me simultaneamente por vários assuntos: hora por jazz, hora por música erudita, às vezes sozinho, outras vezes com professores e algumas vezes em instituições. Dentre os professores, guardo enorme carinho por Ulisses Rocha (violão) e Ricardo Rizek (harmonia).

Gosto muito de lecionar. Dei aula para públicos muito diferentes: crianças, idosos, professores, executivos, músicos e não músicos. A certa altura, decidi que devia fazer isso direito, e fui fazer mestrado em música na Universidade de São Paulo, orientado pelo Rogério Costa. Pesquisei o Tamba Trio, grupo pioneiro do samba jazz. Foi fascinante entrevistar Bebeto Castilho e Hélcio Milito (remanescentes da formação original do Tamba, junto com Luiz Eça, já falecido) e entrar um pouco na época mais efervescente da música instrumental brasileira. Para quem se interessar, minha dissertação está disponível no site da Escola de Comunicações e Artes da USP.

O que mais me fascina na música para cinema é a capacidade dos grandes compositores de submeter a forma musical às suas necessidades. Como cafajestes fazem com suas amantes, eles mandam na música, usando de violência se necessário. Mas é em nome de um bem maior: contribuir com a grande realização humana que é o cinema.

Minhas outras paixões: minha família, assistir desenhos animados e tocar guitarra com os amigos.